PARÂMETROS QUANTITATIVOS DE HASTES FLORAIS DE GLADÍOLO EM SISTEMA DE CULTIVO MÍNIMO DO SOLO EM SANTA CATARINA

Palavras-chave: Gladiolus x grandiflorus Hort. Conservação do solo. Clima subtropical.

Resumo

O objetivo do trabalho foi caracterizar o padrão comercial quantitativo de hastes florais de gladíolo produzidas no sistema de cultivo mínimo e convencional do solo em duas épocas de colheita em Santa Catarina. Foram realizados experimentos em locais com clima subtropical e solos classificados como Cambissolo e Nitossolo. O gladíolo foi produzido em  canteiros com revolvimento intensivo do solo e, em cultivo mínimo, no qual o revolvimento do solo foi realizado apenas nas linhas de plantio sobre palhada. As cultivares utilizadas foram Red Beauty e White Goddess em duas épocas de colheita, Dia das Mães e Namorados. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com 12 repetições, sendo os tratamentos: duas épocas de colheita e dois sistemas de manejo do solo. Quando as hastes florais estavam em ponto de colheita realizaram-se as medidas para caracterização dos padrões quantitativos: comprimento total da haste e da espiga, espessura da haste e o número de floretes. Com base nesses dados, as hastes foram distribuídas nas classes 75, 90, 110 e não comercializável. O padrão das hastes de gladíolo produzidas em sistema de cultivo mínimo em condições edafoclimáticas de SC para colheita no Dia das Mães cumpriu as exigências do mercado de flores, sendo a maioria das hastes classificadas como 90 e 110. Portanto, o gladíolo pode ser produzido em sistema de cultivo mínimo sem comprometer o padrão das hastes florais. Esse é o primeiro passo para o incentivo de cultivo de flores sob um olhar conservacionista, de modo a orientarmos cultivos agrícolas mais sustentáveis.

 

Referências

ADIL, M. et al. Effect of Different planting dates on growth and development of Gladiolus grandiflorus under the ecological conditions of Faisalabad, Pakistan. IJAVMS, 7: 94-107, 2013.

ALVARES, C. A. et al. Köppen's climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, 22: 711-728, 2013.

BECKER, C. et al. Scheduling optimum planting window for gladiola based on El Niño Southern Oscillation. Scientia Agricola, 77: e20180336, 2020.

BONATTO, M. I. Análise de riscos climáticos para o cultivo do gladíolo em Santa Catarina, Sul do Brasil. 2019. 103 f. Dissertação (Mestrado em Ciências: Área de Concentração em Manejo e Conservação de Ecossistemas Agrícolas e Naturais) - Universidade Federal de Santa Catarina, Curitibanos, 2019.

BRANCO, R. B. F. et al. Nitrogen fertilization of vegetables cultivated under no-tillage after cover crops. Horticultura Brasileira, 35: 103-110, 2017.

CQFS - Comissão de Química e Fertilidade do Solo. Manual de calagem e adubação para os estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. 11. ed. Porto Alegre, RS: SBCS, 2016. 376 p.

DRAKOPOULOS, D.; SCHOLBERG, J. M. S.; LANTINGA, E. A. Influence of reduced tillage and fertilization regime on soil quality indicators in an organic potato production system. Biological Agriculture & Horticulture, 34: 132-140, 2018.

EMBRAPA – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Atlas climático da Região Sul do Brasil: Estados do Paraná. Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Editores técnicos: Wrege. M.S.; Steinmetz. S.; Reisser. J.C.; Almeida. I. R. Pelotas: Embrapa Clima Temperado; Colombo: Embrapa Florestas. 2011.

FAYAD, J. A. et al. Sistema de plantio direto de hortaliças: método de transição para um novo modo de produção. 1. ed. São Paulo, SP: Expressão Popular, 2019. 432 p.

HOLAMBRA, V. Critérios de classificação: gladíolo corte. 1. ed. Holambra, SP: Departamento de Qualidade e Pós-Colheita, 2013. 5 p.

KIELING, A. S. et al. Plantas de cobertura de inverno em sistema de plantio direto de hortaliças sem herbicidas: efeitos sobre plantas espontâneas e na produção de tomate. Ciência Rural, 39: 2207-2209, 2009.

LOSS, A. et al. Atributos físicos do solo em cultivo de cebola sob sistemas de plantio direto e preparo convencional. Revista Colombiana de Ciencias Hortícolas, 11: 105-113, 2017.

MATHEW, R. P. et al. Impact of No-Tillage and Conventional Tillage Systems on Soil Microbial Communities. Applied and Environmental Soil Science, 2012: 1-10, 2012.

NARESH, R. K. et al. Role of conservation agriculture for sustainable horticultural crop production through intercropping in North-West India. Annals of Horticulture, 6 : 82-92, 2013.

OUMA, G.; JERUTO, P. Sustainable horticultural crop production through intercropping: The case of fruits and vegetable crops: A review. Agriculture and Biology Journal of North America, 1: 1098-1105, 2010.

PIRES, L. F. et al. Soil structure changes induced by tillage systems. Soil & Tillage Research, 165: 66-79, 2017.

SANTOS, H. G. et al. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. 5. ed. Brasília, DF: Embrapa, 2018. 356 p.

SCHWAB, N. T. et al. Parâmetros quantitativos de hastes florais de gladíolo conforme a data de plantio em ambiente subtropical. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 50: 902-911, 2015.

SCHWAB, N. T. et al. Temperatura base para abertura de floretes e antocrono em gladíolo. Revista Ceres, 64: 557-560, 2017.

SCHWAB, N, T. et al. Duração do ciclo e danos por altas e baixas temperaturas em gladíolo em função da época de plantio. Ornamental Horticulture, 24: 163-173, 2018.

SCHWAB, N. T. et al. Gladíolo: fenologia e manejo para produção de hastes e bulbos. 1. ed. Santa Maria, RS: Pallotti, 2019. 136 p.

SEVERINO, C. A. M. Cultivo comercial de Palma de Santa Rita (Gladiolus sp. Tourm.). 1. ed. Salvador, BA: SBRT, 2007. 22 p. (Dossiê técnico).

SOUZA, M. et al. Matéria seca de plantas de cobertura, produção de cebola e atributos químicos do solo em sistema plantio direto agroecológico. Ciência Rural, 43: 21-27, 2013.

STANCK, L. T. et al. Análises fenológicas de gladíolo em diferentes condições edafoclimáticas em Santa Catarina. Agrometeoros, 27:199-207, 2019.

THOMÉ, V. M. R. et al. Zoneamento Agroecológico e Socioeconômico de Santa Catarina. Florianópolis: Epagri, 1999. 1000 p. Disponível em: <https://ciram.epagri.sc.gov.br/index.php/solucoes/zoneamento/>. Acesso em: 05 dez. 2020.

TOMIOZZO, R. et al. Cycle duration and quality of gladiolus floral stems in three locations of Southern Brazil. Ornamental Horticulture, 24: 317-326, 2018.

TOMIOZZO, R. et al. How to produce gladiolus corms? Ornamental Hortculture, 25: 299-306, 2019.

UHLMANN, L. O. et al. PhenoGlad: A model for simulating development in Gladiolus. European Journal of Agronomy, 82: 33-49, 2017.

UHLMANN, L. O. et al. Gladiolus as an alternative for diversification and profit in small rural property. Ornamental Horticulture, 25: 200-208, 2019.

WANI, M. A. et al. Floriculture Sustainability Initiative: The Dawn of New Era. Sustainable Agriculture Reviews 27: 91-127, 2018.

Publicado
2021-05-10
Seção
Agronomia