IDENTIFICAÇÃO DE HÍBRIDOS DE RICINUS COMMUNIS L. PARA PORTE BAIXO

Palavras-chave: Melhoramento genético. Baixa estatura. Mamoneira.

Resumo

A mamoneira (Ricinus communis L.) é uma planta de origem africana que apresenta importante valor socioeconômico para os países que a cultivam, o que vem implicando em investimentos em programas de melhoramento. Diante disso, o presente trabalho teve como objetivo identificar dentre 19 híbridos e oito parentais de R. communis, genótipos com potencial para melhoramento visando baixa estatura. O estudo foi desenvolvido na área experimental da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia na cidade de Cruz das Almas, BA, sendo instalado em 2017 sob delineamento em blocos casualizados com três repetições, composto por oito parentais e 19 híbridos resultantes da hibridação dos parentais, no espaçamento 3 metros entre linhas e 1 metro entre plantas. Foram avaliados os caracteres: diâmetro do caule (DC), inserção do racemo primário (IRP), número de internódios do caule (NIC), comprimento médio dos internódios do caule (CMIC), estatura de planta (EP), número de racemos colhidos (NRC), comprimento do racemo primário (CRP) e comprimento efetivo do racemo (CER), sendo analisados os parâmetros genéticos de variâncias e correlação entre caracteres. Conclui-se que dos 19 híbridos avaliados, cinco são potenciais na redução de EP em mamoneira, sendo eles H17, H2, H11, H13 e H6, apresentando estatura abaixo de 1,07 m. A seleção direta para estatura de planta é a mais indicada pela presença da alta herdabilidade do caráter. Entretanto, os caracteres DC, IRP e CMIC se destacam no auxílio à seleção indireta para redução de estatura de planta por serem mensurados precocemente, apresentando alta herdabilidade e forte correlação com EP.

Referências

ABIMIKU, O. E.; STATE, N; NDOR, E. Genetic Variability and Correlation Studies in Some Quantitative Characters in Castor (Ricinus communis L.). Asian Journal of Agricultural Sciences, 4: 368-372, 2012.

CARVALHO, E. V. et al. Densidade de plantio em duas cultivares de mamona no Sul do Tocantins. Revista Ciência Agronômica, 41: 387–392, 2010.

CARVALHO, F. I. F. et al. Condução de populações no Melhoramento Genético de Plantas. 2. ed. Pelotas, RS: Ed. Universitária, 2008. v. 500. 288 p.

CONAB - Companhia Nacional de Abastecimento, 2020. Disponível em: < http://www.conab.gov.br/>. Acesso em: 28 mai. 2021.

CRUZ, C. D.; REGAZZI, A. J.; CARNEIRO, P.C.S. Modelos biométricos aplicados ao melhoramento genético. 4. ed. Viçosa, MG: UFV, 2012. 514 p.

FAO - Food and Agriculture Organization of the United Nations. FAOSTAT Statical databese. Roma: FAO, 2019. Disponível em:

<http://www.fao.org/faostat/en/#home> . Acesso em: 28 mai. 2021.

FORMIGA, L. A. et al. Efeito da água disponível do solo no desenvolvimento de dois cultivares de mamona, nos primeiro e segundo ciclos. Engenharia Agrícola, 34: 1128-1138, 2014.

GEBREMICHEAL, M.; NEBIYU, A.; MULUALEM, T. Estimates of Genetic Components for Yield and Quality of Cassava (Manihot esculenta Crantz) Genotypes at Jimma, Southwest Ethiopia. International Journal of Plant Breeding and Genetics, 9: 1–12, 2015.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. 2019. Disponível em: <https://sidra.ibge.gov.br/>. Acesso em: 28 mai. 2021.

LINS, V. D. C.; SOUSA, E. P. DE. Efeitos da produção de mamona no Ceará sob a ótica dos agricultores familiares. Novos Cadernos NAEA, 22: 27–50, 2019.

LISBOA, C. F. et al. Agronomic characteristics of common bean and castor bean hybrids in intercropping and monocropping. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 22: 200–205, 2018.

LIU, J. et al. The conserved and unique genetic architecture of kernel size and weight in maize and rice. Plant Physiology, 175: 774–785, 2017.

MATEUS, G. P. et al. Adubação nitrogenada em cultivares de mamona no sistema de semeadura direta consolidada. Magistra, 27: 460–467, 2015.

MILANI, M. Descritores de mamona utilizados pela Embrapa Algodão. Campina Grande, PB: Embrapa Algodão, 2008. 39 p.

MIRANDA, W. L. et al. Produtividade e crescimento de mamoneira em plantio adensado sob diferentes níveis de irrigação. Sustentare, 1: 18-28, 2017.

OLIVEIRA NETO, S. S. et al. Morphological characterization and selection of castor bean accessions for mechanized production1. Pesquisa Agropecuaria Tropical, 49: 1–9, 2019.

PASSOS, A. R. et al. Parâmetros genéticos de caracteres agronômicos em genótipos de mamoneira. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 45: 709-714, 2010.

PINTO, C. M. et al. Correlações e análise de trilha em mamona consorciada com gergelim, algodão, milho e feijão caupi. Revista Verde, 6: 68-75, 2011a.

PINTO, C. M. et al. Mamona consorciada com girassol em plantios defasados: análise de trilha da produtividade e seus componentes. Revista Verde, 6: 219-229, 2011b.

PIVETTA, L. G. et al. Growth performance of castor bean hybrids under different plant densities. Revista Ceres, 64: 399–412, 2017.

PUTTINI, F. A. Caracterização química e agromorfológica de genótipos de mamona (Ricinus communis L.). 2014. 110 f. Dissertação (Mestrado em Agricultura Tropical e Subtropical: Área de Concentração em Genética, Melhoramento Vegetal e Biotecnologia) - Instituto Agronômico de Campinas, Campinas, 2014.

RAMALHO, M. A. P. et al. Genética na agropecuária. 5. ed. Lavras, MG: UFLA, 2012. 565 p.

R Core Team. R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria, 2017. URL https://www.R-project.org/.

REZENDE, J.O. Recôncavo Baiano, berço da Universidade Federal segunda da Bahia: passado, presente e futuro. 1. ed. Salvador, BA: P&A, 2004. 194 p.

RODRIGUES, H. C. A. et al. Avaliação da diversidade genética entre acessos de mamoneira (Ricinus communis L.) por meio de caracteres morfoagronômicos. Revista Ceres, 57: 773-777, 2010.

RUKHSAR et al. Genetic variability, character association and genetic divergence studies in castor ( Ricinus communis L.). Annals of Agrarian Science, 16: 143–148, 2018.

SANTOS, J. B; VENCOVSKY, R. Controle genético de alguns componentes do porte da planta em feijoeiro. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 21: 957-963, 1986.

SAVY FILHO, A. Mamona tecnologia agrícola. 1. ed. Campinas, SP: EMOPI, 2005. 105 p.

SILVA, A. R. et al. Characterization and performance of castor bean lineages and parents at the UFRB germplasm bank. PLoS ONE, 14: 1–15, 2019.

SILVA, A. R. et al. Correlations and track analysis for morphoagronomic descriptors in pedigree and parental lines of castor bean. Ciência Rural, 47: 1-7, 2017.

SORATTO, R. P. et al. Espaçamento e população de plantas de mamoneira de porte baixo para colheita mecanizada. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 46: 245-253, 2011.

SORATTO, R. P. et al. Narrow row spacing and high plant population to short height castor genotypes in two cropping seasons. Industrial Crops and Products, 35: 244-249, 2012.

TORRES, F. E. et al. Correlations and path analysis on oil content of castor genotypes. Bioscience Journal, 31: 1363–1369, 2015.

VAZ, P. H. P. M.; SAMPAIO, Y. S. B.; SAMPAIO, E. V. S. B. Análise da competitividade da mamona e da soja para produção de biodiesel no Brasil. Revista de Economia Agrícola, 57: 35-48, 2010.

WU, L. et al. Overexpression of the maize GRF10, an endogenous truncated growth-regulating factor protein, leads to reduction in leaf size and plant height. Journal of Integrative Plant Biology, 56: 1053–1063, 2014.

Publicado
2021-09-27
Seção
Agronomia