Ferrum sulphuricum NO CONTROLE DE OÍDIO EM GENÓTIPOS DE TOMATEIRO

Palavras-chave: Oidium neolycopersici. Controle alternativo. Indução de resistência.

Resumo

O oídio é uma doença importante do tomateiro, o que demanda tecnologias para seu controle. A homeopatia é uma ciência que vem ganhando espaço como uma alternativa fitossanitária na agropecuária. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi avaliar o medicamento homeopático Ferrum sulphuricum nas dinamizações 6, 12, 24, 48, 72 e 96CH para controle de oídio. O experimento foi realizado em casa de vegetação, em delineamento de parcelas sub-sub-divididas e os resultados comparados com controles etanol 30% e água destilada. O experimento foi conduzido no período de Maio a Junho de 2013. Foram avaliados área abaixo da curva de progresso da doença (AACPD), índice relativo de clorofila (SPAD), influência no crescimento das plantas pelo volume e massa do sistema radicular, massas de frutos e parte aérea e ainda a esporulação do patógeno nas folhas. Para AACPD, todas as dinamizações reduziram a doença. O genótipo Santa Clara apresentou até 41% menos e Cedro 31% menos doença comparados com o controle etanol, no terço superior da planta. Para o índice SPAD, houve incremento de até 322% no terço médio da planta tratada com a dinamização 24CH. Para as variáveis de crescimento, todas as dinamizações incrementaram em até 197% o volume de raiz e a massa do sistema radicular para ambos genótipos. As dinamizações 6, 12, 24, 72 e 96CH reduziram o número de esporos em folhas de tomateiro Santa Clara em até 40%. Os dados indicam que o medicamento Ferrum sulphuricum pode controlar o oídio em tomateiro, incrementar o crescimento das plantas e que existe diferença de acordo com o genótipo trabalhado.

 

Referências

ALVARENGA, M. A. R. Tomate: produção de campo, em casa de vegetação e hidroponia. 1. ed. Lavras, MG: UFLA, 2004. 455 p.

ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Farmacopéia homeopática brasileira. 3. ed. Brasília, DF: ANVISA, 2011. 364 p.

BALBI-PEÑA, M. I. B. et al. Controle de Alternaria solani em tomateiro por extratos de Curcuma longa e curcumina – II Avaliação in vivo. Fitopatologia Brasileira, 31: 401-404, 2006.

BONATO, C. M.; SILVA, E. P. Effect of the homeopathic solution Sulphur on the growth and productivity of radish. Acta Scientiarum Agronomy, 25: 259-263, 2003.

BONATO, C. M. et al. Homeopatia simples: alternativa para agricultura familiar. 1. ed. Marechal Cândido Rondon, PR: Líder, 2012. 36 p.

CARNEIRO, S. M. T. P. G.; TEIXEIRA, M. Z. Homeopatia e controle de doenças de plantas e seus patógenos. Scientia Agraria Paranaensis, 17: 250-262, 2018.

CARVALHO, J. M. F. C; SILVA, M. M. A; MEDEIROS, M. J. L. Perda e conservação dos recursos genéticos naturais. Campina Grande, PB: EMBRAPA, 2009. 20 p. (Documentos, 221).

DOSSA, D; FUCHS, F. Tomate: análise técnico-econômica e os principais indicadores da produção nos mercados mundial, brasileiro e paranaense. Curitiba, PR: CEASA, 2017. 50 p. (Boletim Técnico, 03).

FERREIRA, D. F. Sisvar: a computer statistical analysis sistem. Ciência e Agrotecnologia. 35: 1039-1042, 2011.

HAMERSCHMIDT, I. et al. Manual de olericultura orgânica. Curitiba, PR: EMATER/SEAB, 2012. 129 p.

INOUE-NAGATA, A. K. et al. Manual de fitopatologia: doenças das plantas cultivadas. v. 2., 5. ed. São Paulo, SP: Ceres, 2016. 810 p.

ISLA. Isla sementes. Porto Alegre, 2020. Disponível em: <http://www.isla.com.br/cgi-bin/detalhe.cgi?id=278>. Acesso em: 04 mai. 2020.

MALAVOLTA, E.; VITTI, G. C.; OLIVEIRA, S. A. Avaliação do estado nutricional das plantas. 2. ed. Piracicaba, SP: Potafós, 1997. 319 p.

MARQUES, P. C.; RISSATO, B. B.; SCHWAN-ESTRADA, K. R. F. Crescimento micelial de Sclerotinia sclerotiorum, repertorização de sintomas e controle do mofo branco em tomateiro por medicamentos homeopáticos. In: AMARAL, H. F.; SCHWAN-ESTRADA, K. R. F. (Eds.). Agricultura em bases agroecológicas e conservacionista. Ponta Grossa, PR: Atena, 2020. v. 1, cap. 15, p. 160-171.

MARQUES, R. M.; SILVA, G. G. M.; BONATO, C. M. Effects of high dilutions of Cymbopogon winterianus Jowitt (citronella) on the germination and growth of seedlings of Sidar hombifolia. International Journal of High Dilution Research, 7: 31-35, 2008.

MIORANZA, T. M. et al. Control of Meloidogyne incognita in tomato plants with highly diluted solutions of Thuya occidentalis and their effects on plant growth and defense metabolism. Semina, 38: 2187-2200, 2017.

PUSTIGLIONE, M. O moderno organom da arte de curar. 2. ed. São Paulo, SP: Typus, 2004. 320 p.

RISSATO, B. B. et al. Homeopatia como método alternativo no controle de doenças em plantas. Journal of Agronomic Sciences. 5: 92-105, 2016.

SALVUCCI, B. J.; AEGERTER, E. M.; MIYAO, I. First report of powdery mildew caused by Oidium lycopersici in field-grown tomatoes in California. Plant Disease, 100: 1497-1497, 2016.

SATKOVÁ, P. et al. Diverse responses of wild and cultivated tomato to BABA, oligandrin and Oidium neolycopersici infection. Annals of Botany, 119: 829-840, 2017.

SHANER, G.; FINNEY, R. E. The effect of nitrogen fertilization on the expression of slow mildewing resistance in Knox wheat. Phytopathology, 67: 1051-1056, 1977.

SOUZA, J. L.; RESENDE, P. Manual de horticultura orgânica. 1. ed. Viçosa, MG: Aprenda Fácil, 2003. 564 p.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia vegetal. 5. ed. Porto Alegre, RS: Artmed, 2013. 918 p.

TOLEDO, M. V.; STANGARLIN, J. R.; BONATO, C. M. Controle da pinta preta e efeito sobre variáveis de crescimento em tomateiro por preparados homeopáticos. Summa Phytopathologica, 41: 126-132, 2015.

TOLEDO, M. V. et al. Fungitoxicity activity of homeopathic medicines on Alternaria solani. African Journal of Agricultural Research, 11: 3824-3838, 2016.

YANAR, Y.; YANAR, D.; GEBOLOGLU, N. Control of powdery mildew on tomato by foliar sprays of liquid potassium silicate. African Journal of Biotechnology, 10: 3121-3123, 2011.

Publicado
2021-12-22
Seção
Agronomia