COMPORTAMENTO METASTÁTICO DAS NEOPLASIAS MAMÁRIAS MALIGNAS DA ESPÉCIE FELINA

  • Kilder Dantas Filgueira Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), Mossoró, RN, Brasil
  • Paulo Fernando Cisneiros da Costa Reis Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), Mossoró, RN, Brasil
  • Luã Barbalho de Macêdo Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), Mossoró, RN, Brasil
  • Ilanna Vanessa Pristo de Medeiros Oliveira Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), Mossoró, RN, Brasil
  • Muriel Magda Lustosa Pimentel Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), Mossoró, RN, Brasil
  • Achivaldo Reche Júnior Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, SP, Brasil.

Resumo

Os carcinomas da mama dos felinos apresentam alta taxa de malignidade, com comportamento invasivo na maioria dos casos. Há numerosas pesquisas sobre os tumores de mama em cadelas, porém ainda existem poucos estudos em oncologia felina, principalmente em relação ao aspecto metastático tumoral. O presente trabalho objetivou caracterizar o perfil de metástases associado aos carcinomas da glândula mamária felina. Foram analisados, de forma retrospectiva, os prontuários de 24 gatas domésticas portadoras de carcinomas da glândula mamária. Utilizou-se o arquivo do Hospital Veterinário da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Mossoró, Rio Grande do Norte, Brasil), compreendendo o período de dezembro de 2004 a agosto de 2009. As informações colhidas corresponderam à distribuição de metástases, detectadas ao exame necroscópico. Todos os distúrbios sugestivos de metástases mamárias na inspeção macroscópica foram encaminhados para análise histopatológica. Houve a possibilidade de realização de necropsia em apenas sete (29%) pacientes. Todas as gatas demonstraram infiltração tumoral mamária em mais de um órgão. A avaliação histopatológica das lesões extramamárias revelou similaridade com os padrões dos carcinomas examinados, possibilitando assim a caracterização de metastatização, a partir das neoplasias malignas primárias das glândulas mamárias. O pulmão equivaleu ao sítio de maior comprometimento (86%), seguido da pleura parietal, coração, linfonodos intratorácicos, fígado (ambos com 43%), ossos (28,6%), diafragma, baço, rim, ovário, útero e linfonodos mesentéricos caudais (ambos com 14,3%). O carcinoma mamário felino demonstra uma ampla distribuição de distúrbios secundários para distintos órgãos e estruturas corpóreas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2015-02-05
Seção
Original Articles / Artigos de Pesquisa

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor (es)