ÍNDICES FISIOLÓGICOS E CRESCIMENTO DE GOIABEIRA ‘PALUMA’ IRRIGADA COM ÁGUA SALINA E ADUBAÇÃO NITROGENADA

Palavras-chave: Psidium guajava L.. Salinidade. Nitrogênio. Fisiologia.

Resumo

O cultivo da goiabeira irrigada nas áreas semiáridas evidencia a necessidade de informações a respeito de suas respostas à qualidade da água de irrigação e ao manejo da adubação que possibilite sua exploração. Assim, objetivou-se estudar o efeito da salinidade da água combinada com doses de nitrogênio no crescimento e fisiologia da goiabeira cv. ‘Paluma’, em experimento conduzido em lisímetros de drenagem sob condições de campo em uma área experimental no Centro de Ciência e Tecnologia Agroalimentar da Universidade Federal de Campina Grande (CCTA/UFCG), Campus II de Pombal, PB. O delineamento experimental utilizado foi de blocos casualizados, com tratamentos arranjados em esquema fatorial 5 x 4, relativos a cinco níveis de condutividade elétrica da água de irrigação – CEa (0,3; 1,1; 1,9; 2,7 e 3,5 dS m-1) e quatro doses de nitrogênio (70, 100, 130 e 160% de N recomendada), sendo a dose referente a 100% correspondeu a 541,1 mg de N dm-3 de solo. O aumento da salinidade da água de irrigação a partir de 0,3 dS m-1 promoveu redução na condutância estomática, concentração interna de CO2, taxa de assimilação de CO2, transpiração, eficiência instantânea no uso da água, número de folhas e ramos, diâmetro de caule, taxa de crescimento absoluto e relativo. Doses de nitrogênio variando de 378,7 a 865,7 mg de N dm-3 de solo não afetaram as trocas gasosas e o crescimento das plantas. Apesar do crescimento da goiabeira cv. Paluma ser afetado com o aumento da salinidade, é possível irrigar com água de até 1,42 dS m-1 ocorrendo redução aceitável de 10% nas variáveis de crescimento. Não houve efeito significativo da interação entre salinidade da água de irrigação e doses de adubação nitrogenada em nenhuma variável estudada.

Referências

AMORIM, A. V. et al. Respostas fisiológicas de plantas adultas de cajueiro anão precoce à salinidade. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza, v. 41, n. 1, p. 113-121, 2010.

BENINCASA, M. M. P. Análise de crescimento de plantas: noções básicas. 2. ed. Jaboticabal, SP: FUNEP, 2003. 42 p.

CAVALCANTE, L. F. et al. Crescimento de mudas de maracujazeiro amarelo em solo salino com esterco bovino líquido fermentado. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, Recife, v. 4, n. 4, p. 414-420, 2009.

DIAS, M. J. T. et al. Adubação com nitrogênio e potássio em mudas de goiabeira em viveiro comercial. Ciências Agrárias, Londrina, v. 33, Sup., p. 2837-2848, 2012.

DIAS, T. J. et al. Produção do maracujazeiro e resistência mecânica do solo com biofertilizante sob irrigação com águas salinas. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza, v. 42, n. 3, p. 644-651, 2011.

FERREIRA, D. F. Sisvar: um sistema computacional de análise estatística. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 35, n. 6, p. 1039-1042, 2011.

FREIRE, J. L. O. et al. Rendimento quântico e trocas gasosas em maracujazeiro amarelo sob salinidade hídrica, biofertilização e cobertura morta. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza, v. 45, n. 1, p. 1-10, 2014.

GOMES, K. R. et al. Respostas de crescimento e fisiologia do milho submetido a estresse salino com diferentes espaçamentos de cultivo. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 15, n. 4, p. 365-370, 2011.

HUNT, D. F. Measurements of photosynthesis and respiration in plants. Physiologia Plantarum, Copenhagen, v. 117, n. 3, p. 314-325, 2003.

MANICA, I. et al. Goiaba: do plantio ao consumidor. Tecnologia de produção, pós-colheita, comercialização. 1. ed. Porto Alegre, RS: Cinco Continentes, 2001. 119 p.

MUNNS, R. Genes and salt tolerance: Bringing them together. New Phytologist, Cambridge, v. 167, n. 3, p. 645-663, 2005.

NEVES, A. L. R. et al. Trocas gasosas e teores de minerais no feijão-de-corda irrigado com água salina em diferentes estádios. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 13, Sup., p. 873-881, 2009.

NUNES, J. C. et al. Comportamento de mudas de nim à salinidade da água em solo não salino com biofertilizante. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 16, n. 11, p. 1152-1158, 2012.

OLIVEIRA, F. A. et al. Interação entre salinidade e bioestimulante na cultura do feijão caupi. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 17, n. 5, p. 465-471, 2013.

OLIVEIRA, F. T. et al. Respostas de porta-enxertos de goiabeira sob diferentes fontes e proporções de materiais orgânicos. Comunicata Scientiae, Bom Jesus, v. 6, n. 1, p. 17-25, 2015.

PARIDA, A. K.; DAS, A. B. Salt tolerance and salinity effects on plants: A review. Ecotoxicology and Environmental Safety, New York, v. 60, n. 3, p. 324-349, 2005.

PRAXEDES, S. C. et al. Salt tolerance is associated with differences in ion accumulation, biomass allocation and photosynthesis in cowpea cultivars. Journal of Agronomy and Crop Science, Madison, v. 196, n. 3, p. 193-204, 2010.

RAMOS, D. P. et al. Produção e qualidade de frutos da goiabeira ‘Paluma’, submetida à diferentes épocas de poda em clima subtropical. Revista Ceres, Viçosa, v. 57, n. 5, p. 659-664, 2010.

RHOADES, J. D.; KANDIAH, A.; MASHALI, A. M. Uso de águas salinas para produção agrícola. 1. ed. Campina Grande: UFPB, 2000. 117 p. (Estudos da FAO. Irrigação e Drenagem, 48).

SERRAJ, R.; SINCLAIR, T. R. Osmolyte accumulation: Can it really help increase crop yield under drought conditions? Plant Cell and Environment, Oxford, v. 25, n. 2, p. 333-341. 2002.

SILVA, F. L. B. et al. Interação entre salinidade e biofertilizante bovino na cultura do feijão-de-corda. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 15, n. 4, p. 383–389, 2011.

SILVA, F. L. B. et al. Irrigação com águas salinas e uso de biofertilizante bovino nas trocas gasosas e produtividade de feijão-de-corda. Irriga, Botucatu, v. 18, n. 2, p. 304-317, 2013.

SILVA, M. A. et al. Pigmentos fotossintéticos e índice Spad como descritores de intensidade do estresse por deficiência hídrica em cana-de-açúcar. Bioscience Journal, Uberlândia, v. 30, n. 1, p. 173-181. 2014.

SOUSA, A. B. O.; BEZERRA, M. A.; FARIAS, F. C. Desenvolvimento inicial do clone BRS 275 de cajueiro sob irrigação com diferentes níveis salinos. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, Fortaleza, v. 4, n. 3, p. 166-171, 2011.

SOUZA, L. P. et al. Formation of ‘Crioula’ guava rootstock under saline water irrigation and nitrogen doses. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 20, n. 8, p. 739-745, 2016.

SOUZA, R. P. et al. Fotossíntese e acúmulo de solutos em feijoeiro caupi submetido à salinidade. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 46, n. 6, p. 587-592, 2011.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia vegetal. 5. ed. Porto Alegre, RS: Artmed. 2013. 954 p.

Publicado
16-10-2018
Seção
Agronomia