FORMAS JURÍDICAS DO ENCONTRO COLONIAL: VIOLÊNCIA E HIERARQUIAS ENTRE POVOS NO DIREITO INTERNACIONAL DO SÉCULO XIX E INÍCIO DO SÉCULO XX

Palavras-chave: direito internacional público, história do direito internacional, encontro colonial, civilização, relações entre direito e economia

Resumo

O direito internacional público adquiriu autonomia na porção final do século XIX, apresentando-se como projeto de ordenação jurídica das relações internacionais. O relato tradicional a respeito do direito internacional público, em sua formação histórica, o apresenta como portador de ideais de paz entre as nações e igualdade soberana dos Estados. Diferentemente desse relato, o presente artigo aborda elementos históricos sugestivos de que, em seu período de consolidação como campo autônomo, o direito internacional público abrigou formas jurídicas baseadas em hierarquias culturais e raciais entre povos (em contraste com a noção de “igualdade soberana”). E, ainda, que abrigou como lícito o uso da violência contra povos tidos como inferiores no contexto de expansão do comércio (contrastando com a noção de que o direito internacional teria se originado como um projeto de paz mundial). Nesse sentido, o artigo, enfatizando desdobramentos compreendidos entre as proximidades da década de 1870 e o ano de 1914, aborda a formação do direito internacional público a partir da centralidade do “encontro colonial”, buscando enfatizar projeções da categoria “civilização” em suas formas jurídicas nesse período, e sua consequente instrumentalidade num contexto de expansão global do modelo de Estado e do alcance do sistema de comércio europeus.

Biografia do Autor

Hugo Luís Pena Ferreira, Universidade Federal de Goiás - Regional Jataí (UFG/REJ)
Doutor em Direito (UnB). Mestre em Direito (UFSC). Professor do Curso de Direito da UFG, Regional Jataí.

Referências

ANGHIE, Anthony. Imperialism, sovereignty and the making of international law. Cambridge: Cambridge University Press, 2004.

BOYLE, Francis Anthony. World politics and international law. Durham: Duke University Press, 1985.

BROWN, Andrew G. Reluctant partners: a history of multilateral trade cooperation, 1850-2000. Ann Arbor: The University of Michigan Press, 2003.

CASTRO, Marcus Faro de. Formas jurídicas e mudança social: interações entre o direito, a filosofia, a política e a economia. São Paulo: Saraiva, 2012.

D'AMATO, Anthony. Is International Law Really ‘Law’? Northwestern University Law Review, v. 79, 1984, p. 1293-1314.

DUMONT, Louis. Homo aequalis: gênese e plenitude da ideologia econômica. Bauru: EDUSC, 2000.

FERGUSON, Niall. The ascent of money: a financial history of the world. New York: Penguin Press, 2008.

FERREIRA, Hugo Luís Pena. Ideias e instituições econômicas: uma introdução para o curso de direito. Curitiba: CRV, 2017.

GALINDO, George Rodrigo Bandeira. Para que serve a história do direito internacional?. Revista de Direito Internacional, v. 12, n. 1, 2015, p. 339-354.

HENKIN, Louis. How nations behave: law and foreign policy. Columbia University Press, 1979.

IKENBERRY, G. John. After victory: institutions, strategic restraint, and the rebuilding of order after major wars. Princeton: Princeton University Press, 2001.

KAPLAN, Morton A.; KATZENBACH, Nicholas de B. Fundamentos políticos do direito internacional. Rio de Janeiro: Zahar, 1964.

KOSKENNIEMI, Martti. The gentle civilizer of nations: the rise and fall of international law 1870-1960. 2. ed. Cambridge: Cambridge University Press, 2004.

NISBET, Robert. História da ideia de progresso. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1985.

PAHUJA, Sundhya. Decolonizing international law: development, economic growth and the politics of universality. Legal Studies Research Paper No. 520, Melbourne Law School, 2009.

PARRY, Clive; GRANT, John P.; BARKER, J. Craig. Parry & Grant encyclopaedic dictionary of international law. 3. ed. Oxford University Press, 2009.

POLANYI, Karl. The great transformation: the political and economic origins of our time. 2.ed. Boston: Beacon Press, 2001.

POPPER, Karl. A lógica da pesquisa científica. São Paulo: Cultrix, 1972.

RAJAGOPAL, Balakrishnan. International law from below: development, social movements and third world resistance. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.

WOLKMER, Antonio Carlos. Síntese de uma história das ideias jurídicas: da antiguidade clássica à modernidade. Florianópolis: Boiteux, 2006.
Publicado
09-02-2018