Francisco Campos e o cinismo constitucional

  • Francisco Rogério Madeira Pinto UNIVERSIDADE DE BRASILIA

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar a recepção, nos meios jurídicos, das ideias propostas por Francisco Campos para legitimar o governo autoritário de Getúlio Vargas. Para a análise das propostas de Campos utilizou-se o cinismo como uma categoria analítica apta a descortinar o uso estratégico do direito para fins políticos. Argumenta-se que, em um primeiro momento, o jurista utilizou-se de estratégias discursivas baseadas em um discurso mítico reveladoras de um modo cínico de conceber a legitimação do poder. Defende-se que suas propostas não obtiveram sucesso entre os juristas em razão da aceitação de um discurso legitimado, não na força do mito político, mas em fundamentos cientificistas de cunho histórico e sociológico.

Biografia do Autor

Francisco Rogério Madeira Pinto, UNIVERSIDADE DE BRASILIA
Rogério Madeira é graduado em História pela Universidade de Brasília e em Direito pelo Centro universitário de Brasília -UniCeub. Possui mestrado em Ciência Política pela Universidade de Brasília e atualmente cursa doutorado em Direito pela mesma instituição.
Publicado
03-01-2019